Home » Notícias

Atualizado em 03/05/2013 às 12:12

Qual será a participação da Índia, Brasil, Austrália e EUA no mercado mundial da carne bovina em 2013?

Previsões revisadas de exportações mundiais de carnes em 2013 Publicamos aqui, traduzido especialmente pelo BeefPoint, as mais novas previsões do mercado mundial de carnes, em especial carne bovina, pelo USDA, departamento de agricultura dos EUA.


Previsões revisadas de exportações mundiais de carnes em 2013 Publicamos aqui, traduzido especialmente pelo BeefPoint, as mais novas previsões do mercado mundial de carnes, em especial carne bovina, pelo USDA, departamento de agricultura dos EUA. A previsão da produção global de carne bovina para 2013 está praticamente sem mudanças com relação à estimativa de outubro, sendo de 57,5 milhões de toneladas. Os dados da Índia foram revisdos para baixo, mas isso foi compensado por aumento na produção de outros países. A previsão de exportações globais caíram 355.000 toneladas em comparação a estimativa anterior, publicada em outubro de 2012, para 8,6 milhões. O principal motivo foi a grande redução na expectativa das exportações da Índia. Por outro lado, o USDA fez revisões de alta para Brasil e Austrália. A demanda de importação do Leste da Ásia, particularmente na China e em Hong Kong, está mais forte, enquanto outros mercados importantes estão mais fracos devido ao menor consumo (México) ou à maior produção (Coreia do Sul). A previsão de produção global de carne suína foi revisada para cima, em 2,7 milhões de toneladas, para um recorde de 107,4 milhões devido aos menores preços esperados dos alimentos dos animais. As previsões de exportações caíram 90.000 toneladas, para 7,2 milhões devido às menores previsões para União Europeia (UE), Estados Unidos e Brasil. Vale frisar que a carne suína é a mais consumida no mundo. A previsão de produção global de carne de frango foi revisada para cima, em 1,1 milhão de toneladas, para 84,6 milhões, com a maioria do crescimento sendo fornecido por Estados Unidos, Tailândia e Rússia. As previsões de exportações mundiais subiram 262.000 toneladas, para 10,3 milhões, impulsionadas pelas maiores exportações dos Estados Unidos, Turquia e Ucrânia. Comércio de carne bovina e de vitelo dos principais comerciantes e dos EUA em 1000 toneladas (equivalente peso-carcaça) Nota: Os totais incluem somente os países que fazem parte do banco de dados oficial do USDA. Isto significa que os totais não incluem toda a produção, consumo e comércio mundial, mas sim, a soma dos dados dos países presentes no banco de dados do USDA, que representam os países mais importantes no mercado mundial de carnes. Para capturar esses países mais importantes, a lista muda periodicamente. (p) – Dado preliminar (f) – Previsão Previsões revisadas para o mercado de carne bovina e de vitelo Brasil A previsão de produção foi revisada em 125.000 toneladas a mais, para um recorde de 9,5 milhões de toneladas. Apesar da conversão de pastagens para soja e milho durante a atual estação, a expansão do rebanho está sendo estimulada pelo suporte do governo, melhoramento genético, melhor manejo de pastagens, preços sustentados do gado, condições das pastagens, maior oferta de gado para abate e demanda internacional forte. A previsão de exportações foi revisada em 150.000 toneladas a mais, para quase 1,6 milhão de toneladas, à medida que preços estáveis competitivos e amplas ofertas impulsionarão as vendas. A desvalorização de 16% no Real no ano passado ajudará a competitividade brasileira. Assim, apesar do caso atípico de encefalopatia espongiforme bovina (EEB) no estado do Paraná, somente tornado público no final de 2012, as restrições impostas por Arábia Saudita, Japão, África do Sul, Coreia do Sul, China e Taiwan (que combinados representam menos de 5% das exportações) serão mais que compensadas pela demanda de outros mercados. Provavelmente, surgirão maiores oportunidades de vendas à Rússia devido ao recadastramento gradual de plantas brasileiras, bem como as restrições russas à carne bovina norte-americana concorrente. Austrália A previsão de produção da Austrália foi revisada para cima com 25.000 toneladas a mais, para um recorde de 2,2 milhões de toneladas, devido ao maior abate por causa das condições de seca, ao maior custo de produção e às dívidas rurais. Com oferta ampla, preços competitivos e forte demanda internacional, as previsões de exportações foram revisadas com 55.000 toneladas para cima, para um recorde de quase 1,5 milhão. Previsões maiores do que o previsto anteriormente na demanda pela China e maiores envios aos Estados Unidos deverão mais que compensar os declínios em importantes mercados (Japão e Coréia do Sul). Estados Unidos A previsão de produção foi revisada com 113.000 toneladas a mais, para quase 11,4 milhões de toneladas, devido às expectativas de maiores pesos ao abate que compensam uma redução no número de animais abatidos. Entretanto, a previsão é restrita pela disponibilidade de gado para abate devido a menor safra de bezerros, liquidação anterior estimulada pela seca e elevados preços de rações. As previsões para importações e exportações estão praticamente sem mudanças com relação à previsão anterior. Um melhor acesso ao mercado no Japão e em Hong Kong, juntamente com uma forte demanda em outros importantes mercados, deverão compensar as restrições pela Rússia. UE A previsão de produção foi revisada com um aumento de 35.000 toneladas, para 7,7 milhões de toneladas. Com um leve aumento no consumo, a previsão de comércio permaneceu sem mudanças com relação aos dados de outubro. China A previsão de produção se manteve praticamente sem mudanças, com quase 5,6 milhões de toneladas. Apesar das restrições ao Brasil, as previsões de importações aumentaram 141.000 toneladas, para um recorde de 175.000 toneladas, à medida que a demanda se mantém firme e os produtos estrangeiros estão se tornando competitivos em termos de preços devido à valorização da moeda local, o yuan. Argentina A previsão de produção da Argentina foi revisada com um aumento de 20.000 toneladas, para 2,8 milhões de toneladas, devido aos maiores abates, à medida que os custos de produção, maiores do que o esperado, pressionaram as margens de lucros. Entretanto, a previsão de exportações continua sem mudanças, com 180.000 toneladas, restritas pelo controle do governo às exportações, pelos preços elevados do gado e pela competição com outros fornecedores da América do Sul (Uruguai e Paraguai) em importantes mercados, como Chile, Rússia e Israel. México A previsão de produção se manteve praticamente sem mudanças, com 1,8 milhão de toneladas, à medida que o setor continua sendo desafiado pelo baixo volume de gado pronto para abate devido a seca, altos preços de ingredientes para ração animal (grãos) e elevadas exportações de gado vivo. À medida que os maiores preços da carne bovina reduzem o consumo em todos os níveis de renda, as previsões de importações foram revisadas em menos 90.000 toneladas, para 260.000 toneladas. As previsões de exportações permaneceram sem mudanças. As exportações de gado vivo foram revisadas para menos 35.000 cabeças, totalizando 1,3 milhão, à medida que a menor safra de bezerro limitou a oferta e a Turquia fechou seu mercado aos envios do México. Rússia A previsão de produção foi revisada em 45.000 toneladas para cima, para quase 1,4 milhão de toneladas, devido aos abates maiores do que o esperado gerados pelos maiores preços dos alimentos (ração animal), bem como ao maior peso ao abate, obtidos graças ao melhor manejo do rebanho. As previsões de importações foram revisadas em 45.000 toneladas a menos, em 1 milhão de toneladas, devido às revisões dos dados. Canadá A previsão de produção do Canadá foi revisada em 55.000 toneladas a menos, para 1 milhão de toneladas, o menor volume em 17 anos. As revisões para a safra de bezerro impactaram negativamente o volume de gado disponível para abate. Oferta menor gerou uma redução na previsão de exportações em 85.000 toneladas, para 330.000 toneladas, também o menor volume em 17 anos, mesmo comparado com 2003 (seu primeiro caso de EEB). A oferta menor e a demanda estável também pressionam as previsões de importações em 25.000 toneladas a mais, para 315.000 toneladas. A previsão de exportação de gado vivo foi revisada, com 175.000 cabeças a mais, para um total de 875.000 cabeças, devido as vantagens em termos de custos de alimentos dos animais com relação aos Estados Unidos, bem como às mudanças operacionais em uma planta (XL Foods, Alberta) e ao fechamento de outra (Levinoff-Colbex, Quebec). Japão A previsão de produção do Japão foi revisada em 10.000 toneladas a mais, para 505.000 toneladas, devido à demanda mais forte. A expansão de acesso ao mercado para a carne bovina dos Estados Unidos e a forte demanda antecipada para carne bovina de animais alimentados com grãos deverá impulsionar as importações e o consumo. A previsão de importações foi revisada com 10.000 toneladas a mais, para 760.000 toneladas, com a participação do mercado dos Estados Unidos devendo aumentar às custas da Austrália. Paraguai A forte demanda externa, particularmente pela Rússia, direcionaram a previsão de produção para 35.000 toneladas para cima, para 465.000 toneladas, e as previsões de exportações para 25.000 toneladas para cima, totalizando 275.000 toneladas. Coreia do Sul A previsão de produção foi revisada com aumento de 35.000 toneladas, para 336.000 toneladas por causa do maior abate devido às mudanças nas margens de lucros baseadas nas previsões revisadas para os preços do gado (para menos) e nos preços dos alimentos dos animais (para mais). O consumo deverá declinar levemente, limitado por uma oferta abundante de carne suína doméstica com baixos preços e uma economia desacelerada. Como resultado, a previsão de importações foi revisada em 35.000 toneladas a menos, para 370.000 toneladas. Arábia Saudita Sem mudanças na previsão de produção, as previsões de importações foram revisadas em 40.000 toneladas a menos, para 165.000 toneladas, à medida que as restrições ao Brasil relacionadas à EEB limitaram a oferta importável. Comentário BeefPoint: Claramente o USDA não dispõe de dados muito confiáveis da Índia, que se tornou um importante exportador, apesar de não ter uma produção grande, nem ser tradicional no setor. A Índia passa por uma transformação, uma vez que o rebanho de mais de 100 milhões de cabeças de búfalo começa a ser usado também como fonte de animais para abate, além dos tradicionais leite e tração animal. As estimativas do USDA para a Índia no ano passado eram muito grandes, como podemos ver no segundo gráfico desse artigo. Sumário de carne bovina e de vitelo em países selecionados em 1000 toneladas (equivalente peso-carcaça) 2009 2010 2011 2012 2013 Out 2013 Abr Produção Brasil 8.935 9.115 9.030 9.307 9.375 9.500 UE-27 7.913 8.048 8.057 7.765 7.700 7.735 China 5.764 5.600 5.550 5.540 5.580 5.590 Índia 2.514 2.842 3.244 3.460 4.168 3.800 Argentina 3.380 2.620 2.530 2.620 2.780 2.800 Austrália 2.106 2.129 2.129 2.152 2.185 2.210 México 1.705 1.745 1.804 1.820 1.795 1.800 Paquistão 1.441 1.470 1.435 1.400 1.400 1.400 Rússia 1.460 1.435 1.360 1.380 1.345 1.390 Canadá 1.252 1.273 1.154 1.075 1.055 1.000 Outros 8.819 8.980 8.777 8.883 8.869 8.916 Total menos EUA 45.289 45.257 45.070 45.402 46.252 46.141 EUA 11.891 12.046 11.988 11.855 11.273 11.386 Total 57.180 57.303 57.058 57.257 57.252 57.527 Consumo doméstico total Brasil 7.374 7.592 7.730 7.845 7.985 7.960 UE-27 8.263 8.147 7.975 7.806 7.750 7.785 China 5.749 5.589 5.524 5.597 5.571 5.725 Argentina 2.761 2.346 2.320 2.458 2.602 2.622 Rússia 2.505 2.487 2.343 2.395 2.416 2.416 Índia 1.905 1.925 1.976 2.049 2.008 2.100 México 1.976 1.938 1.921 1.835 1.920 1.835 Paquistão 1.414 1.436 1.402 1.367 1.367 1.367 Japão 1.211 1.225 1.237 1.255 1.248 1.270 Canadá 1.016 1.000 1.009 1.012 930 1.010 Outros 9.796 10.428 10.279 10.396 10.408 10.478 Total menos EUA 43.970 44.113 43.716 44.015 44.205 44.568 EUA 12.239 12.038 11.651 11.744 11.361 11.476 Total 56.209 56.151 55.367 55.759 55.566 56.044 Importações totais Rússia 1.053 1.057 991 1.023 1.080 1.035 Japão 697 721 745 737 750 760 Coreia do Sul 315 366 431 370 405 370 UE-27 498 437 367 348 350 350 Hong Kong 154 154 152 241 200 325 Canadá 247 243 282 301 290 315 México 322 296 265 215 350 260 Egito 180 260 217 250 225 225 Venezuela 250 143 195 220 235 220 Chile 166 190 180 187 190 190 Outros 1.477 1.710 1.663 1.775 1.714 1.864 Total menos EUA 5.359 5.577 5.488 5.567 5.789 5.914 EUA 1.191 1.042 933 1.007 1.188 1.163 Total 6.550 6.619 6.421 6.674 6.977 7.077 Exportações totais Índia 609 917 1.268 1.411 2.160 1.700 Brasil 1.596 1.558 1.340 1.524 1.450 1.600 Austrália 1.364 1.368 1.410 1.407 1.410 1.465 Nova Zelândia 514 530 503 517 529 505 Uruguau 376 347 320 355 375 370 Canadá 480 523 426 335 415 330 UE-27 148 338 449 307 300 300 Paraguai 243 283 197 251 250 275 México 51 103 148 200 225 225 Argentina 621 277 213 164 180 180 Outros 578 535 553 549 551 551 Total menos EUA 6.580 6.779 6.827 7.020 7.845 7.501 EUA 878 1.043 1.263 1.114 1.111 1.100 Total 7.458 7.822 8.090 8.134 8.956 8.601 Sumário de bovinos vivos em países selecionados em 1000 cabeças 2009 2010 2011 2012 2013 Out 2013 Abr Gados totais (estoques iniciais) Índia 309.900 316.400 320.800 323.700 327.300 327.100 Brasil 179.540 185.159 190.925 197.550 203.715 203.273 China 105.722 105.430 104.822 104.346 104.152 104.203 UE-27 88.837 88.300 87.437 86.196 85.320 85.750 Argentina 54.260 49.057 48.156 49.597 51.097 51.195 Colômbia 30.775 30.845 30.971 30.910 30.610 30.576 Austrália 27.321 27.906 27.550 28.506 29.710 29.879 Rússia 21.040 20.677 19.970 19.695 19.430 19.458 México 22.666 22.192 21.456 20.090 18.570 18.521 Canadá 13.030 12.670 12.155 12.215 12.545 12.275 Outros 75.989 57.478 56.108 55.717 55.498 55.734 Total menos EUA 929.080 916.114 920.350 928.522 937.947 937.964 EUA 94.521 93.881 92.682 90.769 89.700 89.300 Total 1.023.601 1.009.995 1.013.032 1.019.291 1.027.647 1.027.264 Produção (Calf Crop) Índia 61.000 61.700 62.500 63.400 64.400 64.300 Brasil 49.150 49.200 49.445 49.690 50.185 50.185 China 42.576 41.500 40.900 40.950 41.365 41.550 UE-27 30.100 30.000 29.600 29.250 29.150 29.000 Argentina 12.000 11.600 13.100 13.800 14.200 14.200 Austrália 10.025 8.842 9.618 10.000 10.000 9.825 Rússia 7.389 6.952 6.800 6.900 6.900 6.950 México 6.875 7.000 6.900 6.800 6.600 6.600 Colômbia 5.300 5.200 5.150 5.125 5.000 5.000 Nova Zelândia 4.523 4.530 4.786 4.945 4.943 4.840 Outros 21.317 15.982 16.000 15.724 15.720 15.645 Total menos EUA 250.255 242.506 244.799 246.584 248.463 248.095 EUA 35.939 35.695 35.313 34.279 34.150 33.800 Total 286.194 278.201 280.112 280.863 282.613 281.895 Importações totais Venezuela 407 612 335 616 500 525 Rússia 49 38 94 138 110 140 China 47 83 103 115 120 120 Egito 45 140 70 95 100 100 Canadá 54 56 73 56 65 55 México 20 25 16 10 25 16 Japão 16 16 12 14 15 13 Ucrânia 2 1 3 3 3 3 Bielorrússia 0 1 1 2 1 2 Outros 171 69 7 0 0 0 Total menos EUA 811 1.041 714 1.049 939 974 EUA 2.002 2.284 2.107 2.256 2.000 2.150 Total 2.813 3.325 2.821 3.305 2.939 3.124 Exportações totais México 980 1.261 1.435 1.539 1.350 1.315 Canadá 1.067 1.065 696 825 700 875 UE-27 403 623 812 769 800 750 Brasil 530 655 405 512 590 590 Austrália 954 875 695 620 725 580 Colômbia 5 24 61 299 250 250 Uruguai 207 207 213 75 60 60 Nova Zelândia 13 27 34 42 47 47 China 29 28 29 28 29 27 Rússia 1 1 5 6 1 5 Outros 113 1 5 5 3 4 Total menos EUA 4.302 4.767 4.390 4.720 4.555 4.503 EUA 58 91 194 191 225 210 Total 4.360 4.858 4.584 4.911 4.780 4.713 Notas: 1) Pode conter outros bovinos. 2) A partir de 2010, a Nicarágua e a África do Sul foram excluídas.


Fonte: Fonte: Livestock and Poultry: World Markets and Trade, Foreign Agricultural Service/USDA – Abril de 2013.

Compartilhe:


Mais sobre Notícias:



Páginas: 123


Home | A Região | Aprova | Projetos | Eventos | Associados | Notícias | Artigos | Classificados | Galeria de fotos | Vídeos | Parceiros | Fale Conosco
   © 2017 - Associação dos Produtores do Vale do Araguaia | Todos os direitos Reservados. Produzido por Web Criações