Home » Notícias

Atualizado em 09/01/2013 às 10:10

Ministério da Agricultura vê fim de embargos à carne até o 2º tri

O Ministério da Agricultura projeta reverter os embargos à carne bovina brasileira até o segundo trimestre de 2013, disse uma autoridade da pasta "Nossa decisão é de ter um esforço para visitar todos os países que estejam com embargo total ou parcial nesses três primeiros meses do ano, para ver se começamos o segundo trimestre sem embargo", disse à agência Reuters o secretário de Relações Internacionais Célio Porto.


 O Ministério da Agricultura projeta reverter os embargos à carne bovina brasileira até o segundo trimestre de 2013, disse uma autoridade da pasta

 

"Nossa decisão é de ter um esforço para visitar todos os países que estejam com embargo total ou parcial nesses três primeiros meses do ano, para ver se começamos o segundo trimestre sem embargo", disse à agência Reuters o secretário de Relações Internacionais Célio Porto.


O Brasil enfrenta alguns embargos à sua carne bovina depois de registrar um caso "atípico" de Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), também conhecida como mal da vaca louca. "O pior já passou", disse Porto, otimista com a reversão dos embargos.


Nesta quinta-feira (3), a Arábia Saudita, o mais relevante entre os países que interromperam as compras, comunicou ao ministério que irá retomar os embarques de animais vivos --embora ainda mantenha a restrição às compras de carne, que são mais volumosas.


Apesar de representar um volume pequeno, a liberação parcial por parte do país árabe é vista pelas autoridades brasileiras como um sinal positivo. "Fizeram um primeiro gesto", disse o secretário.


A Arábia Saudita ocupa a nona posição no ranking dos principais destinos da carne bovina brasileira. De janeiro a novembro, os embarques para lá somaram quase 158 milhões de dólares.


O Ministério da Agricultura pretende enviar uma delegação à Arábia Saudita nos primeiros quinze dias de janeiro, para convencer as autoridades daquele país a reabrirem o mercado.


"Ao invés de ficar esperando eles, vamos lá o mais rápido possível", disse Porto. Também nesta quinta-feira o Ministério recebeu a comunicação de que o Peru vai interromper por 90 dias a compra de carne bovina brasileira, enquanto analisam informações enviadas pelo Brasil sobre a sanidade do rebanho.


"Nossa ideia é que não dure nem 90 dias", afirmou o secretário, confiante na avaliação positiva dos dados. Os embarques para o Peru somaram quase US$ 16 milhões nos primeiros onze meses de 2012, ou 0,1% do total exportado, segundo dados oficiais.


Nesta quinta-feira o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic) esclareceu que o Chile suspendeu preventivamente as importações de farinha de carne bovina e de osso do Brasil, mas mantém as compras de carne bovina.


A informação mais recente do Ministério da Agricultura, pasta responsável por monitorar as questões sanitárias, é de que oito países atualmente impõem restrições à compra de carne bovina brasileira: Arábia Saudita, China, Jordânia, Japão, África do Sul, Coreia do Sul, Taiwan, e agora o Peru.


O embargo da Jordânia é apenas à carne originada no Paraná, Estado onde foi registrado o caso atípico de EEB. Taiwan, apesar de ter anunciado embargo, não realiza atualmente compra de carne bovina brasileira, segundo o Ministério da Agricultura. 


(Reuters)

 

Fonte: FAEG Autor CLEIBER DI RIBEIRO BARBOSA


Compartilhe:


Mais sobre Notícias:



Páginas: 123


Home | A Região | Aprova | Projetos | Eventos | Associados | Notícias | Artigos | Classificados | Galeria de fotos | Vídeos | Parceiros | Fale Conosco
   © 2017 - Associação dos Produtores do Vale do Araguaia | Todos os direitos Reservados. Produzido por Web Criações