Home » Notícias

Atualizado em 18/09/2012 às 08:08

Exportações de bovinos vivos aumentam 60% de jan a ago/12

Chega a quase US$ 9 bilhões a perda do Brasil com a queda nos preços internacionais de 19 dos principais produtos de exportação brasileiros – principalmente minério de ferro, produtos químicos, carnes e material de transporte.


 Chega a quase US$ 9 bilhões a perda do Brasil com a queda nos preços internacionais de 19 dos principais produtos de exportação brasileiros – principalmente minério de ferro, produtos químicos, carnes e material de transporte. Sem o forte impacto da crise econômica mundial sobre os preços dos produtos, o país teria registrado aumento – e não redução – no valor das exportações feitas entre janeiro e agosto, segundo constatou o Ministério do Desenvolvimento.

O milho, que teve recuperação nas cotações devido à seca nos Estados Unidos, ainda teve, nos primeiros oito meses de 2012, preços 3% abaixo da média do mesmo período de 2011. Com base nos volumes exportados de janeiro a agosto de 2012, os técnicos calcularam que o Brasil teria obtido US$ 8,8 bilhões a mais, se esses preços permanecessem os mesmos de 2011. Com esse acréscimo, as exportações de janeiro a agosto de 2012 teriam somado US$ 169,4 bilhões.

As dificuldades no cenário externo não impedem, porém, que algumas mercadorias tenham aumento nas vendas, em volume e preço, como com o  complexo soja (grãos, farelo e óleo), que teve aumento de 5,6% no preço e 14% na quantidade vendida. Os produtores anteciparam as exportações no primeiro semestre aproveitando os preços elevados pelas incertezas da produção nos EUA.

Algumas situações particulares, vinculadas a esforços do governo e do setor privado para a conquista de mercados, contrabalançaram os fatores negativos, como foi o caso da exportação de bovinos vivos, que aumentou 60% nos primeiros oito meses do ano, em comparação com igual período de 2011, e chegou a US$ 413 milhões graças à elevação do preço em 14% e no volume exportado, em 40%. Um único país explica esse resultado: a Venezuela, que incentiva a compra de gado no Brasil para abastecer o mercado local, antes dominado pelos fornecedores colombianos.

Entre os produtos que tiveram aumento nos volumes embarcados devido ao aumento na produção brasileira ou à abertura de novos mercados, estão as carnes, que sofreram queda de mais de 5% nos preços, mas aumento de 3% nas vendas, devido principalmente ao fim de restrições sanitárias em alguns países.

Fonte: jornal Valor Econômico, resumida e adaptada pela Equipe BeefPoint.


Compartilhe:


Mais sobre Notícias:



Páginas: 123


Home | A Região | Aprova | Projetos | Eventos | Associados | Notícias | Artigos | Classificados | Galeria de fotos | Vídeos | Parceiros | Fale Conosco
   © 2017 - Associação dos Produtores do Vale do Araguaia | Todos os direitos Reservados. Produzido por Web Criações