Home » Notícias

Atualizado em 02/07/2012 às 08:08

Movimento contra cartelização dos frigoríficos prosseguirá

O movimento nacional contra o monopólio dos frigoríficos prosseguirá, segundo decisão tomada dia 29 de junho de 2012, durante reunião na sede da Sociedade Goiana de Pecuária e Agricultura.


 O movimento nacional contra o monopólio dos frigoríficos prosseguirá, segundo decisão tomada dia 29 de junho de 2012, durante reunião na sede da Sociedade Goiana de Pecuária e Agricultura. A Carta dos Pecuaristas Goianos foi firmada durante o evento que reuniu mais de duzentos produtores de todo o Estado. O documento é um alerta às autoridades e à sociedade como um todo sobre a cartelização da carne e suas possíveis conseqüências. E representa ainda uma acusação ao governo federal pelo envolvimento do BNDES na viabilização do cartel dos frigoríficos – especificamente o JBS, Marfrig e Minerva.

A mobilização estará de pé em diferentes Estados envolvidos na questão e alguns passos serão dados. Entre as quais, as medidas a serem tomadas pelo CADE, em Brasília, em relação ao processo de monopolização e da audiência pública prevista pelo Congresso Nacional para o mês de agosto. A paralisação alternada e temporária de abate está cogitada pelo movimento nos estados produtores. Em última instância não está descartado um “tratoraço” ou “caminhonaço” à Praça dos Três Poderes, em Brasília. Os adesivos do movimento começaram a ser distribuídos aos presentes.

Na Carta de Goiânia, os signatários em nome dos agropecuaristas asseguram que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, uma instituição de fomento do governo, tenha adotado uma “política de capitalização dessas empresas”, numa referência aos frigoríficos, sobretudo o JBS. No documento assinalam que “com tais recursos fizeram arrendamento de várias plantas frigoríficas, constituíram direta ou indiretamente confinamentos de centenas de milhares de animais, e passaram a interferir, pela ação monopolista, no mercado do atacado do boi e da vaca gorda e, por decorrência, e de todo tipo de gado magro, regulando preços de compra desses insumos”.

Conforme a Carta, “tal prática é nefasta e prejudicial às economias regionais e tem se tornando motivo de nossa extrema preocupação, na medida em que interfere na prática do livre mercado que sempre deveria ser regulado pela oferta e procura”. O documento assinala também que a concentração, alavancada com recursos públicas, afeta a rentabilidade do negócio pecuário e, consequentemente, dificulta a sustentabilidade do setor, baseada no tripé: ambientalmente correta, socialmente justa e economicamente viável. Os signatários da Carta de Goiânia estão convencidos de que “por conseqüência, afetará sem dúvida o preço da carne no varejo, com majoração de preços para o consumidor final”.

Após o preâmbulo, o documento propõe: que as comissões de Agricultura e Pecuária do Congresso Nacional atuem com a máxima urgência para impedir tais transações; que o CADE examine os procedimentos de aquisição das indústrias frigoríficas e acompanhe os seus desdobramentos; que o BNDES promova a democratização dos seus recursos para atender as pequenas e médias empresas do setor; que os governos estaduais promovam ações imediatas para fortalecer também esse segmento; que o governo federal não crie imposto sobre exportação de bovinos vivos; que o MP exame a responsabilidade por sucessão de natureza tributária e trabalhista, dos estabelecimentos que estão sendo comprados ou arrendados.

O documento é assinado, entre outros, pelo presidente da SGPA, Ricardo Yano; Francisco Maia, presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso; Luis Antônio Garcia Nabhan; presidente da ASFAX, Carlos Alberto de Oliveira Guimarães. A bancada ruralista foi representada pelo deputado federal Ronaldo Caiado.

 

Assessoria de Imprensa da SGPA.

 


Compartilhe:


Mais sobre Notícias:



Páginas: 123


Home | A Região | Aprova | Projetos | Eventos | Associados | Notícias | Artigos | Classificados | Galeria de fotos | Vídeos | Parceiros | Fale Conosco
   © 2018 - Associação dos Produtores do Vale do Araguaia | Todos os direitos Reservados. Produzido por Web Criações