Home » Artigos

Atualizado em 09/12/2013 às 11:11

NOTÍCIAS DO FRONT: "A COPA E O BOI: PRECO DA @ SERÁ “PADRÃO FIFA” EM 2014?"

 

A COPA E O BOI: PRECO DA @ SERÁ “PADRÃO FIFA” EM 2014?

Por  em 9 de dezembro de 2013

NOTÍCIAS DO FRONT

 

A pecuária Goiana e Brasileira em uma visão de curto, médio e longo prazo, escrita

por quem a vive e precisa de repostas imediatas (Edição de 08/dez/13 a 14/dez/13)

 

Aos companheiros do inigualável exército de iguais,

 

Pois bem. Começou o clima de copa do mundo. Na última sexta-feira ocorreu o tão aguardado sorteio dos grupos. Para quem teve a oportunidade de ouvir o programa de rádio da CBN do meio dia, como eu (estava retornando de viagem e sintonizei o rádio do carro), pode ouvir que todos os colunistas da CBN fizeram seus respectivos comentários correlacionando a copa do mundo com a economia, a política, etc.

Pois sim, a copa tem muitos componentes fora das quatro linhas e consequentemente influencia uma série de outras áreas. E o boi, o que teria a ver com a copa? Vamos ver então.

 

1)      Como está o nosso teto (SP/MS)?

O patinete é elétrico e agora turbinado, afinal de contas, o nosso referencial, o indicador BMF da arroba de SP à vista, iniciou a semana passada em R$ 109,59 (variando de R$ 108 a R$ 111,50)e acabou em R$ 111,48 (variando de R$ 109 a R$ 115,00).

Chama muito atenção a alta forte da máxima, que mostra que o mercado está direcionado para cima e com muita força, baseado em um casamento de oferta baixa e demanda forte.

Na prática, os negócios em SP orbitam no nível do R$ 112/@, com ágio EU de +1 ou +2, sendo que o negócio mais alto desta semana aponta para os R$ 115/@ à vista! E já não é muito raro de ser visto.

No MS, os preços comuns são entre o R$ 105av x R$107ap, ou até R$1 acima disto.

As escalas variam de modo geral entre os dias 12/dez (quinta) e 17/dez (terça), estando entre 3 e 8d de abate, portanto. No MS, as escalas andaram um pouco mais, estando perigosamente já perto do Natal (dia 22).

Desta forma, após esta 5ª semana da alta da arroba, alteramos o status do BEEFRADAR para:“estabilidade(50%)/alta leve a moderada(50%)”.

 

2)      E aqui, na terra do pequi?

Da mesma forma, semana positiva para o bovino em GO, pois os “preços balcão” estão entre oR$ 101av x R$ 103ap e até R$ 103av x R$ 105ap, para as indústrias menos posicionadas em termos de escala. Para ambos os casos, o ágio EU fica entre +R$1 ou +R$2/@.

O melhor preço de GO foi o R$ 105av e o R$ 106ap, com escalas próximas de uma semana (variando de 4 a 6d de abate).

Com isto, o diferencial de base de GO x SP abriu para perto de -7%, pois a alta em SP foi mais forte do que aqui, ao menos por ora. A vaca orbita ao redor de -5% em relação ao boi, bem estável por aqui a semanas.

Neste cenário, passamos o status do BEEFRADAR para: “estabilidade(50%)/alta leve a moderada (50%)”.

 

3)      Hora do quilo (para “refrescar a cuca”)Não existe nada fácil. Esse tempo já passou, se é que existiu. Acredite naquilo que faz, invista na sua profissionalização – Luciano Roppa, palestrante do BeefSummitBrasil. Daí, faço-te o questionamento: quanto você investiu na sua profissionalização nos últimos 10 anos???

 

4)      O que diz a nossa bola de cristal?

 

4.1. A (sempre boa) notícia de ontem, em 2013…

Foi-se mais um mês de 2013, o novembro. E graças a Deus, novamente mais um dado firme da exportação. Em volume, nos 11 primeiros meses do ano, exportamos 25% a mais que 2012. E em receita, em apenas 11 meses, já atingimos a marca de 6 bilhões de dólares, que era a meta para o ano, estipulada no início de 2013 pela ABIEC.

Até aí, ótimo. Mas o melhor é que a ABIEC projeta um aumento de 20% para 2014 sobre os números de 2013. Isto daria uma receita jamais vista de 8 bilhões de dólares…

O “fiel da balança” da razão de termos preços firmes em 2013 foi justamente a exportação, ao nosso ver. E para a nossa alegria, ela pode continuar em 2014. E ontem, saiu um dado muito importante que aponta nesta direção: a economia dos EUA registrou o menor nível de desemprego dos últimos 5 anos, atingindo níveis pré-crise. A locomotiva mundial da economia parece estar entrando nos trilhos… Sinal de que os vagões tem boa perspectiva, ou seja, podem ter renovados os potenciais de compra, incluso a carne, em 2014…

 

4.2. Semana de recordes de preços quebrados

Para não perder a conta, esta semana foram 5:

recorde do preço da @ de 2013: o R$ 110,80, que estava neste trono desde 08/out, faz parte do passado. Quem ocupa este trono, ao menos por enquanto, é o R$ 111,48, de sexta (06/dez). Faz tempo que dezembro não produzia o melhor preço do ano. A última vez foi em 2007;

recorde do preço da carne de 2013: da mesma forma que a arroba, é o preço de sexta (06/dez), que atingiu R$ 7,32/kg de carcaça casada;

recorde de preço da @ para a safra 2014: também nesta sexta, dia 06/dez, o contrato futuro para maio 14, fechou praticamente em R$ 109/@;

recorde de preço da @ para a entressafra 2014: também nesta sexta, dia 06/dez, o contrato futuro para outubro 14, fechou em R$ 115,50/@. Isto quer dizer, que há previsão de quebra do recorde nominal do preço da @, que vigora desde 11/11/10 (R$ 114,48/@ av, livre);

recorde de preço do mercado físico de 2013: também nesta sexta, dia 06/dez, houveram negócios a R$ 115/@av, recorde do ano;

 

4.3. A economia, um eterno copo pela metade

Esta é a melhor figura que traduz a economia: um copo pela metade de água. Sempre coisas positivas e outras muito negativas ao mesmo tempo. Esta semana foi assim. Apesar de desemprego baixo e crédito em expansão, o PIB do 3º trimestre veio negativo em 0,5%, empurrado desta vez pelo recuo do agro.

Antes que leiam por aí que o agro foi quem afundou o PIB, com um recuo de 3,5% no 3º trimestre (que fez o PIB vir negativo), lembramos que no acumulado do ano ele fica em +8%, permitindo o provável crescimento de 2,2 a 2,4% do Brasil em 2013 (bem melhor que os 0,9% do ano passado).

Este recuo do agro é normal, pois estamos em entressafra, tivemos a soja muito comercializada no 1º semestre e vários preços em recuo (milho, soja e café, por ex.). Se não fossem as carnes, especialmente a bovina, a coisa seria pior.

E para finalizar o nosso espírito de economista, lembramos que estamos convivendo com uma inflação alta e resiliente. Alta porque está na casa dos 5,75% nos últimos 12 meses e olha que se não fosse o dedo do governo, seria muito superior. Os preços livres estão subindo de 7 a 8% ao ano, enquanto os preços controlados pelo governo estão girando na faixa de 1% ao ano. Esta é a grande “maquiagem” da dupla Mantega e Dilma…

Mas (sempre tem um “mas”), isto é bom para o boi. Em tempos de inflação, historicamente o boi a acompanha…

 

4.4. O boi e a Copa?

A copa vai atrair cerca de 1% do PIB em termos de investimentos para o País. Isto reflete muito diretamente em setores como hotelaria, aviação, turismo, e indiretamente também turbina o mercado interno, pois esta maior circulação de dinheiro, aquece a economia, e consequentemente, é esperado que aja algum reflexo positivo para produtos de consumo, como a carne.

Além de Copa, que por si só já vai dar uma agitada no consumo de carne (imagina quantos churrascos pelo Brasil afora serão feitos entre junho e julho/14), tem o fato de termos eleição presidencial. Nos anos de eleição, a gastança do Planalto aumenta, o que dá mais um “up” no mercado interno.

Estas são as nossas esperanças de relação positiva entre a copa e a eleição para o bovino.

As esperanças e apostas (via BMF) mostram que o mercado espera um ano de arroba muito firme para 2014. A nosso ver, estas apostas baseiam-se sobretudo em boa expectativas para a demanda, quer seja, via mercado interno (efeito copa + eleição), quer seja via mercado externo (vide previsão da ABIEC, em função de haver compradores em posição econômica melhor, como também nos mostrou o dado de desemprego dos EUA listado anteriormente).

O cenário da oferta ainda é desconhecido, como sempre, temos poucos números estatísticos. Chama atenção uma possibilidade cada vez mais eminente de retenção de fêmeas, e consequentemente achatamento de oferta de animais para abate, contrário ao que ocorreu nos últimos dois anos, por exemplo.

Isto seria sim uma mistura explosiva para os preços do bovino… Demanda aquecida e oferta menor… Semelhante ao que estamos vendo agora em dezembro… Quem diria. Dezembro será o “mês dono” do melhor preço do boi de 2013. Esta certeza já temos!

Nunca é demais lembrar que o preço é uma correlação entre oferta e demanda. Se a demanda será aquecida em 2014, caso a oferta não esteja no mesmo nível, poderemos sim ter um padrão de preço de @ “padrão FIFA”.

Ei, psiu… Não espalhe isto, porque se todos assumirem esta perspectiva, poderemos ter um ano bem menos positivo, por excesso de oferta. Já vi este filme… Não espalhe este raciocínio, ou então, negocie e faça suas travas à medida que as ferramentas de preços futuros lhe permitam a rentabilidade desejada. Este é o nosso conselho!

Este raciocínio é importante. Da mesma forma que a Copa, uma jogada política do ex-presidente, virou um problema, pois escancarou protestos pelo País afora, uma perspectiva de demanda boa e de preços firmes pode também ser um problema, caso estimule um volume de produção que desequilibre a relação oferta-demanda.

Até o próximo, se assim Deus permitir…

 

 

rodrigo albuquerque
Compartilhe:


Mais sobre Links:



Páginas: 12


Home | A Região | Aprova | Projetos | Eventos | Associados | Notícias | Artigos | Classificados | Galeria de fotos | Vídeos | Parceiros | Fale Conosco
   © 2017 - Associação dos Produtores do Vale do Araguaia | Todos os direitos Reservados. Produzido por Web Criações