Home » Artigos

Atualizado em 03/12/2013 às 08:08

NOTÍCIAS DO FRONT - "O PATINETE DO SACI É ELÉTRICO? A BATERIA É ALCALINA?"

 Por  em 1 de dezembro de 2013

NOTÍCIAS DO FRONT

 

A pecuária Goiana e Brasileira em uma visão de curto, médio e longo prazo, escrita

por quem a vive e precisa de repostas imediatas (Edição de 01/dez/13 a 07/dez/13)

 

Ao nosso inigualável exército de iguais,

 

O presente do dia das crianças do meu filho foi um patinete elétrico, como disse na semana passada. Algumas horas na tomada e outras tantas de diversão. Nada como um motorzinho elétrico e uma bateria de longa duração para divertir uma criança! E o nosso Saci, ou melhor, o nosso “boizinho”? Ganhou um patinete no texto da semana passada e estava reclamando… Mas será que este patinete é elétrico? Vamos ver abaixo.

 

1)      Como está o nosso teto (SP/MS)?

Entramos agora um pouquinho mais acelerados na quarta semana de alta da arroba. O indicador BMF da arroba de SP à vista iniciou a semana passada em R$ 108,89 (de R$ 107,75 a R$ 110,00) e acabou em R$ 109,59 (de R$ 108 a R$ 111,50).

Altas na mínima e principalmente na máxima mostram que o mercado ganhou um fôlego nesta “perna de alta”. Os preços mais comuns estão entre R$ 109 a R$ 110 av para o boi comum, com ágio EU de +1 ou +2/@.

Apensar de ser pontual, já houve negócio de R$ 112 av (frigoríficos menores), o qual foi o maior preço de SP. No MS, os preços comuns são entre R$ 105 a R$ 106av.

As escalas variam de modo geral entre os dias 05/dez e 10/dez, estando entre 3 e 7d de abate, portanto.

Após esta 4ª semana da alta da arroba, alteramos o status do BEEFRADAR para:“estabilidade(65%)/alta leve(35%)”.

 

2)      E aqui, na terra do pequi?

Se a semana passada já foi positiva para o goiano, esta foi mais ainda. O preço balcão mais comum situa-se entre os intervalos de R$99av x R$101ap até R$101av x R$103ap, dependendo da necessidade de compra de cada indústria.

Aquele preço de R$ 104ap da semana passada (lote muito grande negociado), que foi praticamente o melhor do ano de 2013 até agora, já faz parte do passado. Isto porque o ágio EU de R$ 1 a 2/@ vigente agora, faz tornar mais comum o preço de R$ 104 a R$ 105ap.

E já houve um negócio de R$ 107ap, certamente o melhor do ano de 2013, agora em dezembro. É o pico de preço do boi para GO!! Certamente não será fácil você encontrar pessoas que venderam neste preço. Por isto ele é o maior do ano até agora.

As escalas estão entre a próxima quarta/quinta e a outra segunda. Algumas poucas indústrias estão para o dia 10/dezembro. São estas que tem o menor balcão citado acima.

Com isto, o diferencial de base de GO x SP “flerta” com os -6%, perto do menor nível do ano. A vaca mantém algo como -5% em relação ao boi, também perto dos menores níveis do ano. Estes diferenciais mais fechados (ambos) mostram que a oferta de boi é pequena por ora.

Neste cenário, passamos o status do BEEFRADAR para: “estabilidade(65%)/alta leve (35%)”, da mesma forma que SP.

 

3)      Hora do quilo (para “refrescar a cuca”): Entre as duas opções a seguir, qual delas é melhor ter na sua Fazenda em nível de excelência? Quem faz a diferença realmente para a lucratividade? A gestão ou a produção? A resposta, daremos, no evento BeefSummitBrasil*, do Beefpoint, nas datas de 10 e 11/dez, em Ribeirão Preto-SP. Mas fica a dica para ir aguçando a sua curiosidade em relação a nossa opinião: é melhor ser um “rico doente” ou um “pobre com saúde”?

* Veja mais no link: http://sites.beefpoint.com.br/beefpoint/beef-summit-brasil-2013/

 

4)      O que diz a nossa bola de cristal?

 

4.1. E a economia?

Após a sexta alta seguida dos juros, já estamos em 10%aa. E aquela prosinha da “motoqueira do planalto” de termos juros de primeiro mundo? Já era…

Agora, com o reajuste do preço da gasolina (4%) e do diesel (8%), ambos já mais atrasados do que “presente de marido pão duro”, haverá uma pressão inflacionária e esta conversa de juros em alta será mais longa…

 

4.2. O natal do peão e do patrão…

Os feriados para os peões ficarem com o “lático bambeado” estão garantidos. E vai se firmando também uma “ceia gorda” para o Patrão.

A dificuldade de compra de animais gordos anunciada, mesmo ainda no início de dezembro, já se faz presente. Em GO, o melhor preço do ano aconteceu esta semana. Em SP, os preços vigentes estão bem perto dos melhores do ano também.

A bolsa rodou boa parte do pregão de sexta sinalizando que vamos acabar o ano, no dia 31/dez, com o melhor preço de 2013 da arroba novamente “em tela”, ou seja, o R$ 110,80/@ de 08/out/13, apareceu novamente na nossa rota.

E ainda mais, aponta que o recorde nominal da arroba da história do País pode ser quebrado em out/14. Este recorde (R$ 117,18, av de 11/11/10, que sem o funrural vira R$ 114,48) já dura três anos, mas parece (pela previsão da BMF) estar com os dias contados. O ajuste do pregão de sexta foi no R$ 114,30. Falta apenas um “beiço de pulga” para o mercado sinalizar realmente a quebra deste recorde.

Outra notícia extraída das apostas da BMF para a arroba em 2014: o piso da safra (contrato maio) está praticamente em R$ 108/@ em SP. Jogue um diferencial de base para o seu estado e faça as suas contas.

Um grande movimento zootécnico é um dos fatores principais que está por trás destas apostas: o alto abate de fêmeas ocorrido em 2013. Os dados recentes divulgados pelo IBGE mostram que o abate de fêmeas do primeiro semestre de 2013 foi de 46,15% dos animais abatidos, o que poderia ter sido o pico deste ciclo (que já dura desde 2006).

O preço do bezerro no MT, segundo o IMEA, já tem em 2013 a sua maior média anual. Isto é forte… Portanto, o raciocínio sequencial a seguir deve começar a fazer parte de suas estratégias.

Vai ele: baixa rentabilidade da cria (ocorrida) > aumento abata de fêmeas (ocorrendo agora) > redução da produção de bezerros (futuro próximo/já ocorrendo) > encarecimento da reposição (futuro próximo/já ocorrendo) > recuo da margem da engorda > redução da quantidade disponível bois gordos (2014/2015?) > estouro do preço da arroba(2015?) > melhoria da margem da cria, pelo volume menor de bezerros > retenção de fêmeas > maior oferta de animais de reposição > baixa rentabilidade da cria… E aí vai tudo de novo.

Monte as suas estratégias! Agora uma coisa interessante: quando há um pico de abate de fêmeas, o preço do macho é “achatado”. E se este pico de abate de fêmeas houve em 2013, e isto não foi o suficiente para achatar o preço do macho (ao nosso ver, muito graças à exportação), poderemos ter sim nossas esperanças de termos bons preços para 2014/2015 renovadas!

Um último conselho: achamos que o mercado será bem firme para 2014/2015. Mas, tome cuidado quando o mercado todo sinaliza numa mesma direção. Euforia demais para 2014 pode ser um tanto perigoso. Já nos ensinou o Warren Buffet…

Uma coisa é termos o nosso Saci (boi) “em riba” de um patinete elétrico, tudo bem. Isto é bom demais! Mas tem muita gente achando que a bateria do patinete não vai acabar nunca… Será que ela é ALCALINA?

De fato, o boi está em alta, olhando no longo prazo, desde o início de ago/12, mas “canja de galinha” e “seguro” (travas nos preços que te dão boa rentabilidade), não fazem mal a ninguém. Afinal de contas, até a DURACEL acaba um dia.

Até o próximo, se assim Deus permitir…

rodrigo albuquerque
Compartilhe:


Mais sobre Links:



Páginas: 12


Home | A Região | Aprova | Projetos | Eventos | Associados | Notícias | Artigos | Classificados | Galeria de fotos | Vídeos | Parceiros | Fale Conosco
   © 2017 - Associação dos Produtores do Vale do Araguaia | Todos os direitos Reservados. Produzido por Web Criações